05/09/2019

Biblioteca FUNEPE promove exposição de Mandalas

Neste mês de setembro, a Biblioteca da FUNEPE promove a Exposição ‘Mandalas’, apresentadas pelos artistas Ana Franco e José de Oliveira. As obras ficarão expostas no Campus I, no prédio da Biblioteca “Prof. José Fulaneti de Nadai” do dia 05/09 a 13/09, e estará aberta ao público. No Campus II a exposição acontecerá na Sala de Estudos, do dia 17/09 ao dia 27/09.

Confira os horários:

Campus I - Segunda a quinta-feira das14h às 22h. Sexta-feira 13h às 22h. Sábado 13h às 17h.

Campus II - Segunda a sexta-feira das 8h às 18h | 19h às 22h. 

 

Obras

Mandala é uma palavra do idioma sânscrito, considerada uma língua morta com origem na Índia, e significa Círculo. Na prática, Mandalas são desenhos de formas geométricas que se desenvolvem a partir de um mesmo centro.

Culturalmente, as Mandalas servem como uma forma de concentração para a meditação, o que promove a concentração artística nas formas e a construção do desenho como parte de extrema relevância na obra. As formas, sempre coloridas, podem ser criadas com diversos materiais, no caso da artista Ana Franco, seus trabalhos são em porcelana e cerâmica e José de Oliveira desenvolve-os em madeira.

 

Artistas

Ana Maria Pereira Franco e José de Oliveira são artesãos de muita expressividade no meio artístico local e regional. Ambos formados pela FUNEPE, seguiram dedicados às artes plásticas e as diversas formas de expressão cultural.

 

Ana Maria Pereira Franco

Formada em Desenho e Artes em 1977 pela FUNEPE, Ana lecionou Comunicação no curso de Educação Artística da própria instituição. Além disso, desenvolveu sua carreira docente nas redes pública e privada. Foi diretora do Museu Histórico da Cidade, onde promoveu atividades culturais junto às escolas locais e regionais. Hoje dedica-se exclusivamente às artes plásticas se expressando sobre várias plataformas. Nesta exposição, Ana apresenta Mandalas com temáticas variadas sobre porcelana e cerâmica.

 

José de Oliveira

Nascido no Rio de Janeiro, José muda-se para Penápolis ainda criança. Graduado pela FUNEPE, o artista inicia sua carreira artística, paralelamente à sua profissão, começando pela pintura sobre tela e mais tarde introduz a Mandala em suporte de madeira como forma de expressão. Os materiais empregados por ele são cuidadosamente manipulados para depois serem aplicados em seus trabalhos, que são areias de diversas partes do Brasil, pigmentos diversos e casca de ovos processados e tingidos com matéria-prima natural. Desde o entalhe das molduras até seu traço e técnico precisos o torna um artista autodidata e singular.