12/05/2011

Registro de Doadores de Medula Óssea do INCA já tem 2 milhões de cadastrados

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3274790,Registro-de-Doadores-de-Medula-Ossea-do

Levantamento traça perfil dos doadores voluntários

O Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), gerenciado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), traçou o perfil dos 2 milhões dos doadores voluntários no Brasil. O levantamento revelou que as mulheres lideram o cadastro como voluntárias (56%) e que 88% dos doadores têm menos de 45 anos, o que amplia a permanência dos voluntários no cadastro. A pesquisa também apontou que a Região Sudeste possui 48% dos doadores, seguidos por 25% do sul e 14% do nordeste. No centro-oeste, o total é de 8% e no norte estão 5% dos cadastrados do país.
A Região Sudeste continua a ser a que mais tem doadores de medula óssea no Brasil, mas já se detecta uma tendência ao equilíbrio: Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais agora têm menos da metade dos cadastrados no Redome. Há cinco anos, a região era responsável por 57% dos doadores.
O levantamento é importante para sabermos em quais regiões é necessário um reforço nas campanhas, tendo em vista que a diversidade genética da população brasileira é muito vasta — esclarece o diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do INCA e coordenador do Redome, Luís Fernando Bouzas.

Milhões de doadores

A marca de 2 milhões de pessoas cadastradas no país, motivada por campanhas de sensibilização promovidas pelo Ministério da Saúde e o INCA, em parceria com os hemocentros dos Estados, aumenta as chances de pacientes aguardando transplante de medula óssea. Desde que começou a ser gerenciado pelo INCA, há 11 anos, o Redome teve um aumento de 16.000% no número de cadastrados. Houve um aumento de 240% (2003-2009) no número de transplantes não-aparentados.
Em 2010, 67% dos transplantes foram realizados com material encontrado no Redome. Dos 167 transplantes de medula óssea não-aparentados (que utilizam doações voluntárias), 87 pacientes contaram com doadores nacionais. Hoje, há cerca de 1.200 pessoas aguardando por um doador compatível — informa Bouzas.
Pensando no aprimoramento na área de transplantes de medula óssea - cada vez mais em expansão — nesse mês um novo sistema de cadastramento no Redome está sendo implantado em todo o Brasil. Desenvolvido pela equipe de Tecnologia da Informação da Fundação do Câncer, o sistema vai utilizar a tecnologia web e será gerenciado pelos hemocentros e laboratórios de histocompatibilidade (responsáveis pelos exames de compatibilidade). Cada instituição terá acesso ao seu banco dados: os hemocentros vão inserir as informações cadastrais dos doadores, enquanto os laboratórios entram com o resultado do exame. O número de identificação do doador será único, indicado logo no início do cadastro. O sistema vai evitar que haja duplicidade de entrada de doadores e será possível atualização do cadastro pelos profissionais dos hemocentros.

Acesse o site e veja como se tornar um doador de medula óssea:
http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=64